4.2.10

Impossível descrever



Isadora Garcia



Sinto como se a dor em meu peito fosse tanta
Que me impedisse de andar,

De sair do lugar.



Sinto como se me afundasse,

Perdida num lugar estranho a mim.



Sinto como se minhas infinitas lágrimas

Fossem tudo o que eu pudesse dizer.



Sinto como se minha cabeça pesasse,

Cheia das tentativas fracassadas.

Dos discursos ensaiados,

Das previsões incertas.



Sinto-me inútil,

Impotente quanto a um assunto

Impossível de descrever.



2 comentários:

DarkAngel disse...

Olá Isadora,
Passei para ler e adorei …
Escreves poesias de muito bom gosto.

Anônimo disse...

Obrigado por este destacamento, foi bastante útil e disse um monte