24.2.09


Luta contra o que não quero destruir
Isadora Garcia

Escrever é uma(minha) árdua missão.
A razão parece disputar com a emoção.
A mente agiliza o pensamento
que mesmo assim não acompanha a velocidade da criação.
Quanto mais paro para pensar,
mais elas parecem voar,
se esconder,
desaparecer.
As palavras me escorregam da boca
e se auto organizam no papel
de forma que desse ato não tenho controle.
A maior dificuldade da missão,
porém,
é não cumpri-la.

Um comentário:

Julia disse...

Conheço bem essa inquietude
É um fervilhar de sentires e pensares e uma ausência quase absoluta de palavras que juntos quase nos matam. É ai que começa o pique-pega: a gnt correndo atrás das palavras e elas correndo da gente. hahahahaha!
Mas somos incansáveis pq, de fato, é impossível não cumprir essa missão..

Aaah, outra coisa.. to muito feliz de vc tah començando um blog agora.. é o primeiro???

Beeijooos