27.9.09


O que pesa e o que preenche

Isadora Garcia



Escrevo e fico mais leve.

Escrevo e torno-me mais pesada.

Porém este peso segundo não me incomoda

como o que sentia antes.


O pioneiro, o peso ruim, o peso pesado

machucava-me porque era tudo o que eu tinha a dizer

preso,

imperfeito,

confuso,

errado.


Mas, quando organizado,

quando, mais que sentido, explorado,

o peso preso caiu no papel

e encontrou seu destino

que é pesar naquele que o ler,

mas pesar de outra forma,

pesar como me pesou o segundo peso,

aquele que preenche, que enriquece.


Meu desejo mais profundo

é fazer essa troca de pesos diariamente.

Deixar cair na folha o peso que me pesava

E absorver na leitura o peso que me preenche.

2 comentários:

Sérgio disse...

Você escreve muuuuitooooo!!!!

Isadora Garcia disse...

brigada! ^^